descomplicados-logo-preto

Esta foi sem dúvida a ilha que mais nos surpreendeu pela positiva. A praia principal é basicamente um porto para os barcos que saem para os tours e para a pesca, para além disso tem várias placas com avisos de alforrecas e não aconselham a mergulhar. Enfim, não era a praia que procurávamos propriamente, mas sim algum descanso e sossego após termos saído de El Nido. Aquelas 3 ou 4 longas horas dentro de uma van partilhada é aquele trajecto que ninguém quer voltar a repetir, mas não havia outra opção, tirando o avião que era o mais rápido, mas que saía do nosso orçamento. Fomos de encontro ao que queríamos, uma cama confortável, um espaço aconchegante no exterior, que serviu para podermos colocarmos algumas tarefas em dia da nossa viagem e também os nossos projectos profissionais. Enquanto isso os nossos filhos brincavam na rua, descalços e em pleno contacto com a natureza com muitas crianças locais. Foi um autêntico sossego para nós e alegria para eles. 

Conteúdos do artigo

    Como chegar a Port Barton

    Desde a cidade de de Bangkok tem que ir para o porto de Ban Phe, que é onde se apanha o barco para Koh Samet.

    A partir ao aeroporto de Bangkok, devem apanhar um grab (uber da Ásia) para ir até à estação de autocarros Ekkamai bus terminal. É deste terminal que saem a grande parte dos autocarros para vários pontos na Tailândia. Na estação podem comprar o bilhete diretamente quando chegarem ou então  comprar o bilhete combinado. Os bilhetes custam 450 baht – 12€ para a viagem só de autocarro ou 550 baht – 15€ para a viagem combinada de barco e autocarro (não fizemos esta opção, então não temos tantos detalhes).

    Como tínhamos de chegar a Bangkok e não queríamos fazer tudo seguido, decidimos fazer uma paragem a meio. No nosso caso saímos de Koh Kood, uma ilha mais a sul de Bangkok que pertence à cidade de Trat. Desde o porto Laemsok pier até à estação do terminal do bus em Trat Provincial terminal, custa 2€ por pessoa e demora 30 minutos num táxi local.

    Uma vez na estação podem comprar o bilhete de bus diretamente no local ou então pedir um grab. Nós optámos por pedir o grab porque erámos 4 e era mais rápido e confortável. Custou  775 baht – 20€ para os 4 e o trajecto demorou cerca de 2h30. Como o autocarro não pára mesmo no porto em Ban Phe, apanhámos um tuk tuk à beira da estrada onde o autocarro nos deixou, pagámos mais 100 baht – 2.60€ e demorou 5 minutos este trajecto até ao porto.

    Já no porto de Ban Phe ou Nuanthip pier (fica ao lado a 5 minutos a pé), podemos comprar o bilhete para o barco que faz a travessia. Tem a opção do fast boat que demora uns 10 minutos e custa entre 300/500 baht pp (8/13€), ida e volta. A opção do barco lento(público) que demora uns 45 minutos a 1 hora e custa  70/100 baht pp (1,80/2,50€) ida e volta. Os bilhetes de volta não tem data, ficam em aberto para quando deciderem regressar, só tem que enviar um sms a confirmar no dia de véspera.
    Atenção não confiem no primeiro preço que vos derem à chega. O vendedor que nos abordou em Ban Phe começou por nos pedir 3 vezes mais o preço do bilhete e não baixou de maneira nenhuma, até que virámos costas e fomos a outro vendedor que já nos vendeu pelo preço justo.

    Na entrada da ilha é cobrada a uma taxa do ambiente e preservação da ilha de 200 baht pp (5€). Tenham sempre dinheiro vivo porque todos estes pagamentos do barco e das taxas nunca são aceites a ser pagos com cartão.

    O que visitar em Port Barton

    As praias mais bonitas para visitar em Port Barton são a White beach e Coconut beach. Ambas ficam a cerca de 45 min /1h de Mota da pequena vila e algumas partes do caminho são de terra batida e com alguns buracos, o que pode dificultar um pouco a chegada até lá, mas é possível.

    Se gostarem de aventura e de remar, podem explorar as ilhas mais próximas sozinhos, alugando um kayak na praia por 500 pesos (8.5€), para o dia inteiro e ir até essas praias. A travessia demora cerca de 45 min para cada lado.

    Desfrutar a praia principal e única na vila de Port Barton, que não tem as águas mais lindas, mas que é bastante tranquila e muito local. Apesar de ter avisos de Jelly Fish em toda a praia, há sempre quem se arrisque a dar um mergulho, tal como nós fizemos e sem problemas, mas convém ter algum cuidado.

    Podem fazer um tour de Island Hopping em Port Barton onde poderão visitar diversas ilhas, tais como a  Inaladelan Island (também conhecida por German Island), a Sandbank, a Star fish, a Maxima Island e a Exotic Island. Este tour custa 1500 pesos pp (25€), inclui almoço e dura quase o dia todo, sai de manhã e volta só mesmo ao final do dia. Nós não fizemos, mas de acordo com o que pesquisámos, se for para escolher apenas um na vossa viagem e se tiverem incluido El Nido na Rota, façam os de lá, pois são os melhores.

    Vão encontrar alguns bares de praia com Happy Hour, onde podem assistir a música ao vivo e apreciar o pôr do sol.

    Com mota, ou com motorista privado podem explorar uma cascata (Pamuayan Waterfalls), que fica a 15 minutos de Port Barton Town. Chegando ao local têm uma caminhada de mais 15 minutos até à cascata.

    Uma boa opção para explorar a ilha é alugar uma mota.  Mas se ficarem apenas 1 dia, e se tiverem alojados no centro, não vão precisar. Nós ficámos 6 dias porque adorámos o povo local, e nunca tivemos mota, fizemos sempre tudo a pé.

    Onde dormir em Port Barton

    Dormimos na Lunazul Guesthouse, que fica a 5 minutos a pé da estação do bus e apenas a 2 minutos a pé da praia. Tem um espaço muito bonito, bem decorado, servem refeições no local, incluíndo o pequeno almoço. Os quartos são bastante espaçosos e têm WC privado, custam cerca de 3600 pesos (60€), para um casal e têm pequeno almoço incluído. O WIFI funciona muito bem e tem um espaço exterior com ginásio e cinema ao ar livre.

    Se procurarem algo mais barato, mesmo em frente há um alojamento local que não está ainda oficialmente aberto, mas que tem uma senhora sempre na mercearia, que trata do aluguer dos quartos. Ficámos lá também durante 4 noites, por 1500pesos (25€). Os quartos têm WC privado, e há opção com ventoinha ou com ar condicionado. O único problema é que não tem WIFI, tal como muitos outros alojamentos desta zona. 

    Onde comer em Port Barton

    Podemos começar por recomendar o Lunazul, o alojamento onde ficámos, para almoçar ou jantar; servem tapas e tacos e até uma paella espanhola. 

    Jantámos também no Lasanta que é um restaurante espanhol com comida muito saborosa e preços acessíveis. 

    O Sicily é um restaurante italiano com umas massas bem confeccionadas e com um preço acessível. 

    Há um mercado local com muita comida variada, grelhados, e cantinas locais com comida de tacho na rua, ao lado direito antes de chegar à praia (não conseguimos descobrir o nome da rua, nem do mercado), mas é na mesma rua do restaurante Lasanta.

    Dicas e curiosidades

    Port Barton ainda tem pouco turismo e ainda se mantém bastante local. Tem pouca variedade de alojamentos e não há resorts de luxo.

    É muito difícil encontrar uma ATM e as que há poderão não estar a  funcionar ou estar sem dinheiro. Nos restaurantes também não se paga com cartão, por isso é muito importante que levem dinheiro antes de ir para Port Barton.

    As estradas são quase todas de terra batida e há poucos carros. As pessoas andam a pé ou de Mota, a Vila é muito pequena, pode ser feita toda a pé.

    O sinal de rede 4g não é o melhor em toda a vila e por vezes é difícil encontrar locais com bom sinal Wi-Fi.  

    O aluguer de mota varia entre 600/700 pesos (10€/12€) e alugam na grande parte dos sítios das 9h ás 17h, e não alugam as 24h habituais como em outros locais.

    Encontramos um sítio perto da estação de bus, que alugavam a 400 pesos (7€), mas caso fosse para 3 ou mais dias. 

    Há crianças em toda a ilha e brincaram imenso com os nossos filhos.

    Partilhe com os seus amigos