descomplicados-logo-preto

Para a ilha de Bohol não vínhamos com grandes expectativas, apesar do famoso “Chocolate Hills”, “Tarsier Sanctuary” ou o “cruzeiro no Rio Loboc”, que nem fomos visitar, estavámos a chegar de Boracay, aquela ilha que é incrível mas não aproveitámos como queríamos porque estivemos todos doentes. Quando fomos para Bohol o nosso objectivo inicial era fazer alguns tours, mas após a nossa recuperação optámos por fazer praia e descansar. Os tours quem os fez diz que valem a pena e são lindos mas, desde Panglao (pequena parte da ilha de Bohol onde está concentrado a maior parte do turismo) até lá são sempre pelo menos 1 ou 2 horas só para a ida, porque fica no centro de Bohol e mal nos apercebemos ficámos só pelas imagens que se vê no google e desfrutamos apenas das praias na zona de Panglao, visitamos uma ilha local “ilha de Balicasag” e também alguns restaurantes recomendados pelo nosso anfitrião.

Conteúdos do artigo

    Como chegar a Bohol

    Para viajar até Bohol, é necessário fazer a viagem do aeroporto de Manila até Cebu, que demora cerca de 1h30m, com saída no terminal 2 em voos domésticos. Os terminais ficam afastados uns dos outros, entre 15 a 40 minutos, dependendo do trânsito, pois a deslocação é feita por fora do aeroporto. Para isso, vão encontrar um shuttle gratuito nos vários terminais 24h; só têm que se dirigir até lá e apresentar o vosso bilhete de avião.

    Chegando ao aeroporto de Cebu, podem apanhar um Grab ou um táxi (os brancos são mais baratos que os amarelos; caso não tenham Grab, esta é outra opção).

    Em Cebu, devem ir até ao Pier 1 terminal para apanhar o barco, que fica a 30/40 minutos de carro, dependendo da hora e do trânsito. Podem comprar o bilhete até 1 hora antes online ou comprar antecipadamente, caso já saibam a hora de chegada do voo.

    Viajamos sempre pela Oceanjet (https://www.oceanjet.net/); não tivemos experiência pelas outras várias companhias que também operam, mas com esta correu sempre tudo bem. Na compra dos bilhetes, têm a opção do “tourist class” ou “open air”. A diferença é simples: a open air é ao ar livre e sem ar condicionado, e a tourist class tem ar condicionado. Caso escolham esta última, por vezes, o ar condicionado está bastante gelado, e convém irem prevenidos com roupa quente.

    O bilhete custa 800 pesos (13€) + 100 pesos (1.60€) de taxas e demora cerca de 2 horas desde o porto de Cebu até Tagbilaran. Escolhemos este porto porque, no nosso caso, queríamos ir para Panglao (zona sul da ilha de Bohol), e este era o porto mais próximo. Tem mais dois portos em Bohol (Getafe e Loon); esta escolha terá a ver com o sítio onde se vão hospedar.

    O táxi privado no nosso caso para 4 custou 700 pesos (12€) até Alona Beach, que é a zona com mais movimento, turistas, restaurantes e bares.

    A outra opção é voar diretamente da capital Manila para o Aeroporto de Panglao, mas apenas se estiver em Manila, pois se estiver noutra ilha qualquer, não existem voos diretos e acaba por ter que se fazer escala em Manila. (Costumamos pesquisar os voos através https://www.skyscanner.com/).

    O que visitar em Bohol

    Alona Beach – está localizada na ponta sul de Panglao, a aproximadamente 45 minutos de carro do Porto Tagbilaran e a apenas 5 minutos de carro do Aeroporto Internacional de Panglao. Está repleta de restaurantes à beira-mar, clubes e bares que estão abertos todos os dias até tarde.

    Panglao Beach – é menos popular que Alona Beach e está localizada na costa norte de Panglao. Da Praia de Alona até lá, são 20 minutos de moto. A praia não é muito grande, tem cerca de 200 metros de comprimento, e está cheia de coqueiros e barcos na beira do mar.

    White Beach – fica a 10 minutos de carro de Alona Beach e é muito menos lotada. Se a ideia for ter um pouco de paz e tranquilidade, esta é uma boa escolha.

    Dumaluan Beach – é uma alternativa também porque não é tão desenvolvida e tem uma extensão longa de areia branca. Frequentada por muitos locais, principalmente ao fim de semana.

    Momo Beach – praia pouquíssimo turística e está localizada na costa norte de Panglao, a 15 minutos de carro da Praia de Alona. Numa das extremidades de Momo Beach, há um resort de mergulho, mas fora isso não há nada mais do que alguns pequenos barcos de pesca ao longo do areal. A praia normalmente está vazia e quando tem alguém, normalmente são pessoas locais.

    Quinale Beach – fica na zona de Anda e é uma deslumbrante praia de areia branca e fina de três quilômetros de extensão e oferece águas cristalinas perfeitas para um mergulho.

    Caverna Hinagdanan – Visitámos esta caverna que fica a 15 minutos de mota de Alona Beach. A entrada é de 50 pesos (0.85€) apenas para entrar e ver. Se quiserem mergulhar, o valor é de 75 pesos (1.25€), e sim, vai ter alguém cá em baixo a controlar quem mergulha. O mergulho acontece na piscina de água doce no fundo da caverna e é agradável apreciar este lindo espaço que a natureza desenhou.

    Passeio de barco à Balicasag e Virgin Island – Fizemos este passeio num barco privado e pagamos 3000 pesos (49€) para 5 adultos e 4 crianças. O almoço não estava incluído neste valor, mas na primeira ilha Balicasag tem vários restaurantes, apenas tenham em conta que o valor mínimo por prato é de 500 pesos (8€). Há que contar com 300 pesos (5€) por pessoa para poderem fazer snorkeling ou mergulhar, ou seja, é o valor que serve para pagar o senhor que os leva no kayak. O passeio inclui ida até à ilha onde se para para trocar para um kayak (3 pessoas por barco mais o senhor que nos leva). Alugar a máscara apenas na ilha custa 150 pesos (2.5€) por pessoa. Mergulhamos e tivemos a sorte de ver logo uma tartaruga ao nosso lado e corais e peixinhos de todas as cores. No nosso caso, reservámos com o nosso hotel que tinha um amigo com um barco, mas também é possível reservar com vários vendedores locais pela rua de Alona. A paragem foi cerca de 2 horas nessa ilha, e podemos mergulhar o tempo que quisermos. A Virgin Island é um banco de areia no meio do oceano que é visível quando a maré está baixa. Quando fomos, não estava baixa, só vimos onde era mas não conseguimos a famosa foto. Mas da mesma forma, a cor da água é transparente e vale um mergulho no mar.

    As outras atrações turísticas acabamos por não visitar, mas deixamos alguma informação que recolhemos.

    Chocolate Hills – Um dos pontos turísticos mais famosos de Bohol nas Filipinas é o Chocolate Hills. Existem mais de 1.000 montes simétricos, cônicos e em forma de cúpula que a maioria das pessoas os compara aos Hershey’s Kisses. É chamado de Chocolate Hills não porque é feito de chocolate, mas por causa da sua cor castanha. No local, há uma escadaria enorme com uma vista panorâmica e amplas vistas das 1.268 Chocolate Hills em forma de cone. Pode ser visitado por conta própria ou com algum tour organizado. Fica a cerca de 1h30 de Alona Beach e está localizado mesmo no interior da ilha de Bohol.

    Tarsier and Wildlife Sanctuary – O Santuário Tarsier é um sítio interessante para se conhecer. Os tarsiers (espécie de macacos) fazem parte da família dos primatas e são os menores primatas do mundo. Infelizmente, o tarsier está na lista de espécies ameaçadas de extinção e neste santuário eles estão protegidos. Tarsiers são animais noturnos, então vê-los dormir durante o dia é normal. No entanto, podem ter sorte e ser capazes de vê-los de olhos abertos.

    Cruzeiro no Rio Loboc – O Loboc River Cruise é mais uma das atrações em Bohol. Para além de um passeio fantástico ainda inclui um bom almoço e um cruzeiro panorâmico ao longo do rio Loboc. Fica a 40 km de Panglao, que fica a cerca de 1 hora. Esta tour é uma excursão de um dia inteiro, que sai de Panglao e também inclui uma visita a Chocolate Hills, Bilar Man-Made Forest, Tarsier Sanctuary e Baclayon Church.

    Floresta artificial de Mogno (Bilar Man Made Forest) – A floresta artificial está localizada entre as cidades de Bilar e Loboc. De Panglao, são aproximadamente 1h15 minutos de carro para lá chegar. A floresta artificial de Bilar é composta por árvores de mogno que se estendem por mais de 2kms e ao entrar neste túnel paralelo de árvores, vão sentir que acabaram de entrar noutro reino. Também tenham em conta que a temperatura desce drasticamente nesta zona.

    Onde dormir em Bohol

    Ficámos hospedados na pequena ilha de Panglao ao lado de Bohol, numa casa dentro de um condomínio com piscina, chamado Alona Park, que foi reservado através do Airbnb. Fica ao lado do Hennan Resort e a 10 minutos a pé da rua mais movimentada, Alona Beach Rd. Basicamente, tudo se centra nesta rua com cerca de 300 metros, portanto, qualquer alojamento nesta zona será ideal.

    Há outras zonas em Panglao que também são atrações turísticas e têm alojamento lá perto, mas a partir de Alona Beach há de tudo um pouco, e podem chegar facilmente a esses sítios sem ter necessidade de lá ficar hospedado.

    É possível ficar também no centro de Bohol, mas nós optámos por ficar em Panglao por ser o sítio onde tem mais movimento e opções turísticas.

    Onde comer em Bohol

    Todos os restaurantes abaixo que recomendamos e experimentamos foi em Panglao.
    O restaurante Toto e Peppino é um restaurante italiano com boas pizzas e lasanhas feitas em forno de lenha.

    O café/restaurante Tip Top está aberto das 8h às 00h e é ótimo para tomar o pequeno-almoço ou desfrutar de uma ótima refeição, seja almoço ou jantar. Conta com várias carnes, massas e saladas.

    O Garlic ‘n Lemon bistrô é outra boa opção para experimentar comida tailandesa, mariscos, carne ou um bom vinho.

    Se quiser variar da comida filipina e ser mais económico, existem também as redes de fast-food, o McDonald’s e o Jollibee (fast food mas de frango tipo KFC).

    Dicas e curiosidades

    A melhor altura do ano para visitar é na época seca entre novembro e abril.
    Há vários multibancos (ATM) e bancos em Panglao, e alguns restaurantes aceitam pagamento com cartão, mas perguntem sempre antes, caso não tenham dinheiro físico.

    O aluguer da mota aqui consegue-se sem regatear muito, por cerca de 300/350 pesos (5/6€).

    Panglao, apesar de pertencer a Bohol, é uma ilha separada de Bohol, que está ligada através de uma ponte. Há bastante turismo, principalmente na zona de Alona Beach.

    Aqui, os preços, comparando com outras ilhas, são ligeiramente mais altos.

    Partilhe com os seus amigos